domingo, 6 de outubro de 2013

BARCELONA, A VÍTIMA DO MAIOR FURTO DA HISTÓRIA

O maior roubo da história do futebol, sem dúvidas foi cometido pelo Real Madrid, no qual a vítima foi o Barcelona, e a peça furtada se chama Alfredo Di Stéfano, um jogador argentino considerado um dos melhores jogadores de sua época, dito por muitos até melhor que Pelé, Maradona e Cruyff.

Di Stéfano começou a sua carreira no River Plate-ARG em 1945 e se mudou por empréstimo ao Milionários-COL em 1949. Em 1953 o Barcelona chegou a um acordo com o River Plate (que possuía os direitos do jogador) e Di Stéfano foi para Barcelona, onde chegou a jogar 5 amistosos. O Real Madrid percebeu que Di Stéfano se tratava de um ótimo jogador e resolveu entrar na disputa por ele, e compraram a parte dos direitos de empréstimo diretamente com o Milionários (direitos que sequer existiam naquela altura). O Barcelona tinha a aprovação da FIFA por conter os direitos reais do argentino, e o Real Madrid tinha a aprovação da Federação Espanhola que sob pressão dos órgãos estatais (Ditadura) e do Real Madrid teve que apoiar o clube da capital.
Essa situação se prolongou por mais 3 meses até que a Delegação Nacional de Educação Física e Esportes ditou uma sentença segundo a qual proibia a contratação de jogadores estrangeiros, então o Barcelona decidiu vender o jogador à Juventus de Turim para não ter prejuízos financeiros. Porém o Real Madrid não aceitou a proposta e junto com o ditador madridista, fez com que os dirigentes mudassem a sentença forçando-os a tomar outra decisão, que permitiria que Di Stéfano jogasse pelo Real Madrid nas temporadas 1953/54 e 1955/56, e pelo Barcelona nas temporadas 1954/55 e 1956/57.
O atual presidente do Barcelona naquela época, Enric Martí, assinou o acordo. Mas depois de várias críticas por esse ato ele acabou renunciando o seu cargo. Poucas semanas depois, o Barcelona insatisfeito com a proposta, renunciou o jogador e deixou o caminho livre permitindo que o Real Madrid assinasse definitivamente com Di Stéfano.
Até então a rivalidade entre os dois clubes não era nada acirrada, pois até aquele momento os clubes que lideravam a Espanha eram Barcelona e Athletic de Bilbao, e o Real Madrid sequer era um clube de expressão. Mas após esse episódio, o Barcelona e o Real Madrid se tornaram ‘rivais mortais’, ainda mais pelo os 'brancos' terem montado uma equipe competitiva a partir desse fato, e a rivalidade foi mantida e existe até hoje.

“A história do Real Madrid começa de fato com a vinda de Di Stéfano“ – Emílio Butragueño, ex-jogador do Real Madrid

Di Stéfano mudou a história do Real Madrid, pois antes de sua chegada, o clube tinha apenas 2 títulos da Liga Espanhola que era liderada pelo Barcelona com 6 títulos, e o clube da capital com mais títulos era o Atlético de Madrid com 4. Mas tudo mudou com a chegada de Di Stéfano ao Real Madrid, que foi o craque “espanhol” durante os 11 anos que atuou pela equipe de Madri, liderando e vencendo 8 Ligas espanholas e 5 Copas dos Campeões da Europa (atual UEFA Champions League).

Naquela época, na Espanha o Real Madrid era o único clube que contava com 7 estrangeiros no elenco, como Di Stéfano, Puskas, Kopa, Lucien Müller...
E para aliviar um pouco, o Real Madrid resolveu naturalizar Di Stéfano como espanhol, e ele atuou pela seleção espanhola durante 4 anos até a FIFA proibir que nenhum jogador atuasse por mais de 1 seleção (Di Stéfano havia atuado pela Argentina, Colômbia e Espanha).
Durante a sua passagem pela seleção espanhola, Di Stéfano atuou em sua melhor forma, por isso ele também responsável que fez os amantes da seleção espanhola se apaixonarem pelo Real Madrid.





Em 2000, Alfredo Di Stéfano foi nomeado como Presidente de Honra do Real Madrid, pelos méritos que tornaram o clube madrilenho um dos maiores e milionários clubes do mundo.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

ORIGINAL OU FALSO?

Olá, culés e visitantes.
Antes de tudo eu quero deixar bem claro que a minha intenção não é de prejudicar os vendedores (mas é certo que isso vai acontecer). A minha intenção é outra, é de apenas alertar vocês para que não sejam enganados por vendedores imorais.

Nesta publicação irei falar de um assunto que é o pavor de vendedores que importam camisas da Tailândia ou de outros países para revender aqui no Brasil, ou que enviam as camisas para a sua casa diretamente do fabricante. Falarei sobre as diferenças de uma camisa réplica (pirata) para uma camisa original.

Bom, aqui falarei somente dos produtos da Nike, que é a distribuidora oficial do FC Barcelona, e também porque eu não tenho um profundo conhecimento sobre as demais (Adidas, Puma, Reebok, Kappa, Warrior, etc...).
Vamos começar?

Como 97% do público que visita este Blog é brasileiro (fonte: Blogger.com), falarei das situações que se aplicam aqui no Brasil.
Quando alguém vai procurar por camisas do Barça para comprar na internet, se deparam com vários sites como Netshoes, Centauro, Mundo do Futebol, Fut Fanatics... e o mais perigoso: Mercado Livre.
Os sites que citei acima são totalmente confiáveis, com exceção do Mercado Livre.
Mas aí você deve estar pensando: "Pô, mas nesses sites as camisas são muito caras, no Mercado Livre é bem mais barato."
Certo, com certeza é sim.
Mas vamos comparar as diferenças. Irei usar a Netshoes para representar as lojas legalizadas.
Na Netshoes uma camisa do Barcelona, lançamento, custa R$ 199,90.
No Mercado Livre achamos o mesmo produto por valores próximos de R$ 99,90.
O que temos que colocar na cabeça em primeiro lugar é que tudo o que é vendido no Brasil, seja produtos ou serviços, tem impostos, por isso que em lojas legalizadas o preço fica próximo de R$ 199,90, sinal de que o produto está correto e legal com as leis nacionais, ou seja, com os impostos quitados. E também tem um detalhe muito importante: para que os impostos sejam cobrados, a Receita Federal exige originalidade e legitimidade do produto. Ela não cobra impostos de produtos piratas.
Ou seja, está na cara que as camisas de R$ 99,90 não tem impostos inclusos, ou seja, são contrabando com 100% de ser um produto PIRATA, isto é, o próprio preço o condena.
Mas aí você pensa: "Pô, mas se são piratas, são réplicas perfeitas e vale a pena o preço a ser pago."

Será mesmo?
Vamos comparar algumas imagens de uma camisa original tirada do site Netshoes (fotos da esquerda) com as imagens de camisas piratas tiradas de alguns anúncios do Mercado Livre (fotos da direita).

COMPARAÇÃO DE CIMA
Podemos ver uma falha na costura, que não ocorre nas fabricações da Nike.

COMPARAÇÃO DE BAIXO
Notamos que as cores do logotipo da Nike são diferentes.
 COMPARAÇÃO DE CIMA
Aqui podemos notar a diferença na cor do patrocínio 'Qatar Airways'. A original é cinza, e a pirata é branco. (clique na foto para ampliar.)

COMPARAÇÃO DE BAIXO
Na etiqueta 'Authentic' podemos notar mesmo com a foto da esquerda um pouco distorcida, que ela está costurada perfeitamente bem no centro da faixa, já na foto da direita a etiqueta está desalinhada.


COMPARAÇÃO DE CIMA
Na gola da camisa Away, podemos notar um detalhe vermelho na original, e na pirata a gola não possui nenhum detalhe.

COMPARAÇÃO DE BAIXO
A cor do patrocínio no modelo Away é o detalhe principal para distinguir a originalidade da camisa por uma foto. Na original, a cor do 'Qatar Airways' é MARROM, e na pirata, variam de preto para azul marinho.










Tente sempre comparar os detalhes das camisas que você pretende comprar com fotos de camisas originais que você pode encontrar na Netshoes, nos sites que citei, ou se preferir, no próprio site do Barcelona (ou da Nike). Cada detalhe faz a maior diferença.

E se você já possui alguma camisa e quer saber se ela é original ou não, pegue-a e fique atento à apenas um único detalhe, um detalhe principal que a pirataria não consegue "clonar" de de jeito nenhum: A ETIQUETA AUTHENTIC.
É uma pena o detalhe ser tão minúsculo e de impossível percepção nas fotos dos anúncios na internet, mas se você conseguir fazer essa identificação antes de comprar, você saberá exatamente no ato da compra se a camisa se trata de uma réplica ou não.

Na foto ao lado podemos ver uma etiqueta 'Authentic' ORIGINAL.
E o detalhe que o diferencia das piratas é aquela 'fita metálica' abaixo do "Authentic".
Clique na foto para ampliar e note que a fita metálica é costurada e possui algumas informações.













Agora veja abaixo algumas fotos de diferentes etiquetas piratas.
A fita metálica foi substituída por costuras que ao serem observadas de longe dão a impressão de que a fita existe, mas se forem observadas de perto podemos ver claramente que não existe nenhuma fita metálica ali.

Bom, como agora vocês já sabem como identificar uma réplica, acredito que muito não cairão mais em golpes de vendedores imorais que vendem suas réplicas como originais, e até pior, com PREÇOS DE ORIGINAIS.

Mas é lógico que se eu não tiver muito dinheiro e me deparar com uma réplica perfeita onde todos os detalhes citados nesta publicação coincidem (com exceção da etiqueta 'Authentic', é lógico), eu posso até comprar, mas saberei que estarei adquirindo um produto PIRATA, e também desde que o preço não seja um absurdo e esteja abaixo de 50% do valor de um original. Isso sim seria uma "boa" compra para quem quer tanto vestir o manto do Barça e não pode pagar pelos impostos absurdos que existem aqui no Brasil.
Dica: Sempre quando for comprar em sites que não são legalizados, sempre exija FOTOS REAIS DO PRODUTO.

E uma dica valiosa que eu dou para quem pode estar sendo enganado por um "bom" vendedor que esteja querendo jogar um produto a preço de original em você: EXIJA A NOTA FISCAL.
Pois se o preço está alto é porque devem ter impostos embutidos, logo, A EMISSÃO DA NOTA FISCAL É DE TODO DIREITO DO CONSUMIDOR.
E se ele se negar a emitir a nota fiscal, caia fora. Provavelmente ele estará querendo lucrar até 400% encima de você, pois acredite, as camisas piratas podem ser compradas em lojas estrangeiras a cerca de 25 dólares, cerca de 50 reais cada. Seria um baita absurdo você comprar uma camisa de 50 reais por um valor acima de 150 reais (tem uns que vendem a 190 reais).
E quanto à personalização, normalmente o vendedor paga cerca de 1 dólar por patch, nome e número. Então caia fora daqueles que cobram 15 reais por patch, pois normalmente o valor dos patchs já estão inclusos nos 25 dólares.

FRETE
E para encerrar eu quero alertar a todos no valor do frete.
Alguns vendedores gostam de lucrar no frete também, mas se você calcular o valor do frete no site dos Correios, você pode ter uma noção do valor que o vendedor irá "pagar" na agência dos Correios ao enviar o produto à você.
Fique atento, pois alguns cobram por exemplo 20 reais no frete, sendo que no ato do envio os Correios cobrarão apenas a metade disso.
No link a seguir você poderá calcular o valor e o prazo do frete de acordo com a forma de envio (PAC ou SEDEX): www.correios.com.br/encomendas/prazo/

Para calcular é simples, basta você preencher os campos obrigatórios para a simulação do frete com seu CEP, o CEP do vendedor (caso você não saiba, procure saber qual é a cidade que o vendedor se encontra, procure no Google "CEP + nome da cidade" e use qualquer CEP que aparecer para o cálculo, pois o valor não altera se for da mesma cidade), e não se esqueça de imaginar o tamanho e o peso do pacote que a sua camisa será enviada (normalmente o pacote tem até 1 kg com dimensões de 20cmx15cmx5cm).
Se o resultado mostrar um valor bem mais inferior ao valor cobrado pelo vendedor, caia fora.

E nos envios internacionais, o frete costuma ser imperceptível, coisa de 5 dólares (10 reais) que já estarão embutidos no valor do produto à venda. Por exemplo: Um vendedor no Mercado Livre está vendendo uma camisa do Barcelona importada com prazo de 20 a 45 dias úteis (o prazo é longo mesmo e torça pra Receita Federal não barrar) por um valor de 99,90 + 30,00 de frete.
Como eu já disse, normalmente o vendedor compra a camisa por 25 dólares, e acreditem, com o frete incluso.

CONCLUSÃO
Então é isso pessoal, espero que vocês tenham conseguido aprender e entender como funciona esse sistema de vendas de camisas online.
Muito obrigado a todos por visitarem o 'Paraules Blaugrana'.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

O ESCUDO

O escudo do Barcelona tem uma forma de "panela", dividido em três quartos.
Nas 2 partes de cima tem a bandeira de Barcelona (Cruz de São Jorge) no lado esquerdo e no lado direito tem a "La Senyera" (Bandeira da Catalunha).
Na parte de baixo tem uma bola de futebol sobre as cores azul e grená, que são as cores do clube.
No centro do escudo tem uma faixa com as iniciais do clube: "F.C.B.".

Após a sua fundação, o clube passou a usar o escudo da cidade de Barcelona como forma de expressar uma relação com a cidade. Esse escudo permaneceu até 1910, dois anos depois de Joan Gamper salvar o clube de uma profunda crise, que o fez optar em criar um escudo próprio e diferenciado.
Sendo assim, o clube convocou um concurso aberto a todos os sócios para que enviassem as suas propostas, que resultou no desenho de Carles Comamala (jogador do Barça entre 1903 a 1912) como o vencedor.
O escudo mudou pouco desde a sua criação, e as mudanças introduzidas foram, em grande parte, de caráter estético como pequenas modificações nos traços de seu perfil. No entanto, houve mudanças importantes devidas as condições políticas, e que durante o 'FRANQUISMO' as siglas "F.C.B." foram substituídas por "C.F.B.", em consonância com a denominação da "castelhanização" do clube. Além disso, o Barcelona teve que reduzir o número de barras que se encontravam no canto superior direito onde estava a "Senyera", ficando assim, parecida coma bandeira da Espanha.

Em 1949, aproveitando para comemorar os 50º anos do clube, voltaram a colocar as 4 barras, deixando a bandeira da Catalunha novamente no escudo. No final de 1974, o Barcelona voltou a colocar as suas iniciais "F.C.B." no escudo, voltando a ser como era em 1910.

O desenho moderno do Barcelona é obra de uma adaptação do designer Claret Serrahima, que em 2002 incluiu linhas mais estilizadas e retira os pontos entre as iniciais (de "F.C.B." passou a ser "FCB").

O escudo foi modificado 10 vezes desde a sua criação, confira abaixo:




1899-1906
O primeiro escudo foi o da cidade de Barcelona, que foi acrescentado um loureiro dos campeões e um morcego.



1906-1910
O carimbo que levava a bandeira da cidade cercada por um círculo com o nome do clube em inglês, e a data de fundação.



1910-1920
Este foi o primeiro escudo oficial, em forma de "panela" com as iniciais do clube "F.C.B." (Fútbol Club Barcelona)



1920-1936
Este desenho era completamente diferente ao anterior: mais "gordo", listras amarelas entre as listras azuis e grená, pontas laterais e a faixa central amarela.



1936-1939
Outra grande mudança no escudo, onde voltam a ser alterados as pontas laterais, a faixa central passa a ser preta, as iniciais se tornam amarelas, e o design da bola.

1939-1946
O franquismo retirou 2 barras de cada uma das 4 barras vermelhas e amarelas para que a bandeira se parecesse com o da Espanha, a faixa central voltou a ser amarela assim como as iniciais voltaram a ser pretas, porém foram alteradas deixando de ser "F.C.B." (Fútbol Club Barcelona) e passando a ser "C.F.B." (Club de Fútbol Barcelona) por Franco ter proibido o catalão e fazendo o castelhano superior.



1946-1960
Mais uma vez as 4 barras foram autorizadas por Franco, foram mudados: a forma do escudo, a faixa central passou a ser branca e na sigla foi acrescentado o "de", e a bola deixou de ser amarela e se tornou grená.



1960-1974
Mais uma tentativa de deixar o escudo mais moderno, o "de" foi retirado da sigla, e a barra central voltou a ser amarela.



1974-1975
No 75º aniversário do clube, a forma do escudo foi mudada, a faixa central voltou a ser branca, e a sigla original "F.C.B." voltou.



1975-2002
Novas mudanças no escudo, porém, estas foram as que mais duraram até hoje, as linhas do perfil foram mudadas e a faixa central voltou a ser amarela.


2002-ATUALMENTE
No dia 28 de Junho de 2002 foi criado um novo escudo, deixando o escudo mais "limpo" excluindo as pontas em sua volta e a sigla "FCB" perdeu os pontos que separavam as letras.

sábado, 15 de setembro de 2012

EL CAPITÁN, PUYOL

Carles Puyol Saforcada, atual capitão do maior clube do mundo, é o símbolo do FC Barcelona.
Nascido em La Pobla de Segur, na Catalunha, no dia 13 de Abril de 1978 (34 anos), Puyol teve toda a sua carreira dedicada ao Barça.
Puyol chegou ao Barcelona em 1995, e atuou pelas divisões de base até 1999 com mais de 80 jogos disputados, quando foi promovido para defender a equipe principal liderada pelo holandês Louis Van Gaal na temporada 1999-00 participando de 37 partidas até se consagrar o Jogador Revelação do Ano.
Desde então, Puyol se manteve na equipe e conseguiu ser titular em pouco tempo, sendo a promessa no início do segundo centenário do clube.
A temporada 2004-05 foi marcada por ser a primeira temporada que Puyol se sagrou capitão da equipe elegido por seus companheiros e por Frank Rijkaard substituindo Luis Enrique e Cocu que haviam saído da equipe.
Com a braçadeira de capitão, Puyol teve a honra de levantar em uma temporada todos os troféus possíveis de serem ganhos (Copa del Rey, Champions League, La Liga, UEFA Super Cup, Supercopa de España e Mundial de Clubes).
Pela equipe principal, Puyol já disptou 562 jogos oficiais e marcou 15 gols.

Puyol virou o símbolo catalão nos clássicos contra o Real Madrid, que teve a honra de disputar durante 2701 minutos os 32 clássicos nos quais marcou 2 gols levando apenas 13 cartões amarelos.

Veja todos os clássicos que Puyol disputou:
1º > 1999 - Barcelona 2-2 Real Madrid / Liga (Min 37' - ↓ #12 Sergi ↑ #32 Puyol)
2º > 2000 - Real Madrid 3-0 Barcelona / Liga (FULL TIME - #32 Puyol) Cartão Amarelo
3º > 2000 - Barcelona 2-0 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #24 Puyol)
4º > 2001 - Real Madrid 2-0 Barcelona / Liga (FULL TIME - #24 Puyol)
5º > 2002 - Barcelona 1-1 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #24 Puyol) Cartão Amarelo
6º > 2002 - Real Madrid 1-1 Barcelona / UCL (FULL TIME - #24 Puyol) Cartão Amarelo
7º > 2002 - Barcelona 0-0 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
8º > 2003 - Real Madrid 1-1 Barcelona / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)  Cartão Amarelo
9º > 2003 - Barcelona 1-2 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #5 Puyol) Cartão Amarelo
10º > 2004 - Real Madrid 1-2 Barcelona / Liga (Min 84' - ↓ #5 Puyol ↑ #23 Thiago Motta)
11º > 2004 - Barcelona 3-0 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
12º > 2005 - Real Madrid 4-2 Barcelona / Liga (FULL TIME - #5 Puyol) Cartão Amarelo
13º > 2005 - Real Madrid 0-3 Barcelona / Liga (FULL TIME - #5 Puyol) 
14º > 2006 - Barcelona 1-1 Real Madrid / Liga (Min 89' - ↓ #5 Puyol ↑ #18 Gabri)
15º > 2006 - Real Madrid 2-0 Barcelona / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
16º > 2007 - Barcelona 3-3 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
17º > 2007 - Barcelona 0-1 Real Madrid / Liga (Min 77' - ↓ #5 Puyol ↑ #11 Zambrotta) Cartão Amarelo
18º > 2008 - Real Madrid 4-1 Barcelona / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
19º > 2008 - Barcelona 2-0 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
20º > 2009 - Real Madrid 2-6 Barcelona / Liga (FULL TIME - #5 Puyol) Cartão Amarelo [GOL]
21º > 2009 - Barcelona 1-0 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
22º > 2010 - Real Madrid 0-2 Barcelona / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
23º > 2010 - Barcelona 5-0 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #5 Puyol) Cartão Amarelo
24º > 2011 - Real Madrid 1-1 Barcelona / Liga (Min 58' - ↓ #5 Puyol ↑ #15 Keita)
25º > 2011 - Real Madrid 0-2 Barcelona / UCL (FULL TIME - #5 Puyol)
26º > 2011 - Barcelona 1-1 Real Madrid / UCL (Min 89' - ↓ #5 Puyol ↑ #20 Affelay)
27º > 2011 - Real Madrid 1-3 Barcelona / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
28º > 2012 - Real Madrid 1-2 Barcelona / CDR (FULL TIME - #5 Puyol) Cartão Amarelo [GOL]
29º > 2012 - Barcelona 2-2 Real Madrid / CDR (FULL TIME - #5 Puyol) Cartão Amarelo
30º > 2012 - Barcelona 1-2 Real Madrid / Liga (FULL TIME - #5 Puyol)
31º > 2013 - Real Madrid 1-1 Barcelona / CDR (FULL TIME - #5 Puyol) Cartão Amarelo
32º > 2013 - Barcelona 1-3 Real Madrid / CDR (FULL TIME - #5 Puyol) Cartão Amarelo

TÍTULOS PELO FC BARCELONA
3 - UEFA Champions League
2 - UEFA Super Cup
2 - FIFA World Cup Club
6 - La Liga
2 - Copa dle Rey
6 - Supercopa de España

SELEÇÃO ESPANHOLA
Pela Seleção Espanhola, Puyol estreou em 2000, e de lá pra cá acumulou 99 jogos disputados, que inclui:
3 Copas do Mundo:
2002 - Coréia do Sul e Japão (QUARTAS DE FINAL)
2006 - Alemanha (OITAVAS DE FINAL)
2010 - África do Sul (CAMPEÃO)

2 UEFA Euro:
2004 - Portugal (PRIMEIRA FASE)
2008 - Áustria e Suíça (CAMPEÃO)

1 Copa das Confederações:
2009 - África do Sul (3º LUGAR)

1 Jogos Olímpicos:
2000 - Sidney, Austrália (MEDALHA DE PRATA)

Pela Seleção Espanhola, Puyol marcou 3 gols que foram:
17/04/2002 - Irlanda do Norte 0-5 Espanha (4º gol) / AMISTOSO
11/10/2008 - Estônia 0-3 Espanha (3º gol) / ELIMINATÓRIAS COPA DO MUNDO 2010
07/11/2010 - Alemanha 0-1 Espanha (1º gol) / COPA DO MUNDO 2010

(Atualizado em 30/05/2013)

terça-feira, 11 de setembro de 2012

PEP GUARDIOLA, ÍDOL ETERN!

Josep Guardiola i Sala, nasceu no dia 18 de Janeiro de 1971 (42 anos) em Santpedor, pequeno município da Espanha situado na província de Barcelona, na Catalunha.
Guardiola chegou ao Barcelona com 13 anos de idade (1983), permanecendo nas divisões da base no clube até 1990, quando finalmente estreou pela equipe principal contra o Cádiz, e se tornou titular da equipe na temporada 1991/92, ano em que a equipe liderada por Johan Cruyff, venceu a primeira Champions.
Na temporada 1996/97, Pep teve a honra de se tornar o capitão do Barcelona e renovou seu contrato até 2001.
Porém, devido a uma lesão, ele ficou afastado dos gramados até retornar na temporada 1998/99 e participar ativamente até o fim de seu contrato, até partir para a Itália.
Títulos que Guardiola ganhou como jogador do Barcelona:
6 - La Liga
2 - Copa del Rey
4 - Supercopa de España
1 - UEFA Champions League
1 - UEFA Cup (UEFA Europa League)
2 - UEFA Super Cup

SELEÇÃO ESPANHOLA
Guardiola, em 1991 com 21 anos estreou pela Seleção Principal, na qual fez parte até 2001.
Em 1992, Pep foi capitão da Seleção Olímpica Espanhola que foi medalha de OURO nos Jogos Olímpicos de Barcelona de forma invicta, vencendo a Colômbia por 4-0, o Egito por 2-0, o Qatar por 2-0 (todos na fase de grupos), a Itália por 1-0 (Quartas de Final), a Gana por 2-0 (Semi-Final) e em uma Final emocionante, em que a Polônia abriu o placar nos acréscimos do 1º tempo, a Espanha empatou e virou, porém logo a Polônia deixou o placar tudo igual, e já nos acréscimos a Espanha marcou o gol do título no Camp Nou.
Pela Seleção Principal, Guardiola participou da Copa do Mundo dos Estados Unidos em 1994, em que foi eliminado nas Quartas de Final pela finalista Itália, não participou da UEFA Euro da Inglaterra em 1996 por problemas com o técnico Javier Clemente, não participou da Copa do Mundo da França em 1998 por conta de sua lesão, e voltou a participar somente na UEFA Euro da Holanda e da Bélgica em 2000, onde caiu nas Quartas de Final para a campeã do torneio, a França.

FIM DA CARREIRA DE JOGADOR
Em 2001, Guardiola deixou o Barcelona para jogar no Brescia da Itália, onde ficou 1 temporada até partir para o Roma, onde mal atuou por ter sido suspenso por 4 meses por ter ingerido Nandrolona, uma substância proibida. Pep jogou apenas 4 partidas pela equipa da capital italiana até regressar ao Brescia.
Em 2003, Pep trocou o Bescia pelo Al-Ahli após recusar proposta do poderoso inglês, Manchester United.
Porém, não obteve muito sucesso nas 2 temporadas em que atuou.
Em 2005, ele trocou o clube do Qatar pelo Dorados de Sinaloa do México, onde ficou por 6 meses até aposentar.

GUARDIOLA, O TREINADOR
Em 2007, Guardiola começou a sua carreira como técnico do Barcelona B, onde liderou a sua equipe até conquistar o acesso à Liga Adelante (Segunda Divisão Espanhola).
Em 2008, após a saída do técnico da equipe principal, Frank Rijkaard, Pep Guardiola assumiu o posto se tornando o maior treinador estreante de todos os tempos superando o seu "ex-professor" Johan Cruyff, vencendo TODOS os torneios em que disputou em sua temporada de estréia que foram: Copa do Rei, La Liga, Champions League (Triplete), Supercopa da Espanha, Supercopa da Europa e Mundial de Clubes.
No total, Guardiola venceu 14 títulos dos 19 disputados com uma campanha invejável onde teve apenas 21 derrotas em 4 temporadas (mais de 200 partidas) no comando do Barcelona.


O FIM DO CLICLO NO BARCELONA
No fim da temporada 2011/12, Guardiola resolveu dar uma pausa em sua carreira de treinador para aliviar as tensões e curtir mais a sua família.
Durante essa pausa, Guardiola acabou fechando contrato com o Bayern de Munique, fato que foi anunciado pelo próprio clube alemão no dia 16 de Janeiro de 2012.
Guardiola assumiu o cargo em Julho de 2013 e tem compromisso com o clube bávaro até 2016.